Energia geotérmica


A energia geotérmica é a energia, na forma de calor, que se pode retirar do interior da terra. Este calor tem origem na atividade interna da terra, resultando em grande parte da desintegração de elementos radioativos presentes nas camadas mais profundas do planeta.
À medida que se avança para o interior da Terra o calor aumenta, é o chamado gradiente geotérmico. À superfície terrestre, o gradiente geotérmico é normalmente de cerca de 3°C a cada 100m de profundidade. No entanto, em certas zonas como as zonas vulcânicas, o gradiente geotérmico pode atingir 50 °C a cada 100m de profundidade. A existência de elevados valores de gradientes geotérmicos explica-se pela atividade vulcânica recente. Abaixo da crosta terrestre existe uma camada superior constituída por uma rocha líquida, o magma que se encontra a altas temperaturas. A crosta terrestre flutua nesse magma, mas, por vezes, o magma quebra a crosta chegando à superfície, formando os vulcões e o magma no exterior passa a designar-se lava.

O valor do gradiente geotérmico permite considerar dois tipos de energia geotérmica: de alta entalpia (elevada temperatura) ou de baixa entalpia (baixa temperatura).
A energia geotérmica de alta entalpia liberta calor do interior da terra a uma temperatura rotativamente elevada (superior a 150 °C), geralmente sob a forma de vapor. Este vapor pode ser conduzido a uma turbina, que assim é acionada, a qual acoplada a um alternador produz energia elétrica.
A energia geotérmica de baixa entalpia resulta da existência de gradientes geotérmicos médios ou ligeiramente superiores à média. Estes gradientes aparecem em virtude da existência de aquíferos a grande profundidade (entre 1000 a 2000 m), com temperaturas de fluido entre os 50 a 100 °C. O fluido (água, por vezes com elevada salinidade) é extraído por meio de bombas circuladoras de água, sendo o seu calor aproveitado para aquecer edifícios, tanques de piscinas e diversões aquáticas, para o aquecimento de águas sanitárias, para estufas, utilizações industriais, piscicultura, aquacultura, etc.


Você também pode gostar de:

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *